Quando cozinhamos, costumamos pensar na procedência dos alimentos — se são orgânicos, transgênicos, saudáveis… No entanto, nem sempre lembramos dos tipos de panelas usadas. Infelizmente, muitos componentes presentes nelas fazem mal à saúde e podem contaminar a comida durante o processo de preparação.

Uma das principais consequências desse problema é a intoxicação por metais pesados, por exemplo. Por isso, conhecer os componentes das panelas e as suas principais características figura como hábito primordial para garantir uma alimentação saudável.

Neste post, vamos listar os principais tipos de panelas e as suas peculiaridades para você escolher a melhor visando a saúde de sua família. Confira!

Aço-inox

As panelas de aço-inox apresentam boa qualidade e alta durabilidade. Elas são ideais para preparar alimentos que necessitam de cozimento por muito tempo. Além disso, não oxidam, e o calor é distribuído de forma equilibrada.

Apesar de oferecer vantagens, esse tipo de panela requer alguns cuidados, pois libera pequenas quantidades de níquel nos alimentos — metal bastante tóxico. Para evitar problemas de saúde ligados à transferência de níquel, o ideal é ferver água e descartá-la por pelo menos quatro vezes antes de começar a usar a panela.

Ferro

As panelas de ferro são boas condutoras de calor e aparecem como ideais para o preparo de receitas que exigem um cozimento lento. Com elas, torna-se mais difícil queimar um alimento, pois o calor é conduzido lenta e uniformemente.

O seu uso é considerado benéfico para a saúde, visto que libera ferro para os alimentos durante o cozimento, auxiliando no combate à anemia. Após a lavagem com água morna e sabão, é preciso secar as panelas de ferro imediatamente, porque há risco de enferrujar.

Alumínio

As panelas de alumínio são as mais comuns e baratas. Práticas, resistentes e leves, são ideais para fazer frituras, doces e refogados. Ademais, costumam preservar o sabor dos alimentos mesmo em altas temperaturas.

O grande problema desse tipo de panela é que ela pode transferir metais pesados para as preparações durante o cozimento, prejudicando a saúde. O estilo de alimento cozinhado influencia na liberação do alumínio: molho de tomate e café, por exemplo, facilitam essa transferência.

Para evitar o problema, vale retirar as preparações ainda quentes da panela e não deixar que elas permaneçam por muito tempo esfriando.

Antiaderente

As frigideiras antiaderentes são panelas de alumínio que ganharam um revestimento em teflon, o que evita que os alimentos grudem, facilitando o preparo da comida. São ideais para preparos que não necessitam de óleo. Entretanto, é preciso ter cuidado com o manuseio, pois riscam e perdem o revestimento facilmente.

Quando o teflon começa a soltar, o ideal é descartar a panela imediatamente, por questões de saúde. O revestimento é composto por substâncias que, quando expostas a altas temperaturas, podem causar problemas pulmonares similares à gripe, com possibilidade de evolução para doenças mais graves.

Por isso, utilize esponjas macias na hora de lavar e utensílios de silicone ou plástico para evitar danos e riscos.

Como vimos, não existe um ideal entre os tipos de panelas, mas sim aqueles estilos que se encaixam melhor no preparo de determinados alimentos, sempre levando em consideração a saúde. Na hora de comprar, fique atento à qualidade da panela, observando o preço e o material de cada uma.

Gostou do conteúdo? Então compartilhe nas suas redes sociais e mostre para os amigos quais panelas são as melhores para a saúde!